Resultados do estudo HPTN 077 apresentados na 9a Conferência IAS sobre Ciência do HIV

O Cabotegravir (CAB) é um novo inibidor de integrase disponível na forma de nanosuspenção injetável de ação prolongada. O CAB se encontra em desenvolvimento como um novo medicamento para o tratamento e prevenção do HIV.

O projeto HPTN 077 foi um estudo de fase 2 randomizado, duplo-cego, controlado com placebo (PBO) do CAB em duas doses. Os participantes eram HIV negativo, com baixo risco de infecção e provenientes de 8 locais espalhados pelo mundo, incluindo o Instituto Nacional de Infectologia (INI-Fiocruz) no Rio de Janeiro. Eles foram randomizados para receber CAB 30mg ou PBO durante quatro semanas. Em seguida, uma dose de CAB de 600mg, 800mg ou PBO por injeção intramuscular (IM) era administrada nas semanas subsequentes do estudo.

Resultados preliminares foram apresentados na 9a Conferência IAS sobre Ciência do HIV, que aconteceu em Paris em julho de 2017. Um total de 199 participantes foram incluídos no estudo HPTN 077. A medidana de idade foi de 31 anos (IQR: 24, 40) e o índice de massa corporal (ICM), 27 (IQR: 23, 32). Dos participantes, 66% eram mulheres, 41% negros, 27% brancos, 24% latinos e 8% eram multiétnicos pardos ou outros. Ao todo, 94% completaram a fase oral, 89% receberam pelo menos uma injeção e 75% receberam todas as doses de injeção. Na semana 41, dor e reações no local da injeção eram mais comuns em pacientes administrados com CAB do que com PBO. Nenhuma outra diferença foi encontrada em segurança ou tolerabilidade. Reações locais levaram à interrupção da injeção em 2/134 (1,5%) dos participantes.

Em suma, o CAB foi bem tolerado entre homens e mulheres HIV negativo com baixo risco de infecção. Os resultados de farmacocinética apoiam o desenvolvimento do CAB para prevenção do HIV na dose de 600mg IM a cada 8 semanas.