Reunião global sobre o HIV: 5 pontos críticos direcionados a populações-chave na luta contra a epidemia

No dia 18 de abril de 2016, uma missão da ONU composta por membros da Zâmbia e da Suíça iniciaram a elaboração de uma declaração politica para a Reunião de Alto Nível (High Level Meeting) para o combate ao HIV/AIDS, evento que ocorre entre os dias 8 a 10 de junho de 2016. A grande relevância desta declaração foi ter aberto a possibilidade para que grupos da sociedade civil possam, juntamente com organizações governamentais, participar ativamente desta elaboração. Deste modo, um importante canal de diálogo se criou para defender, discutir e adicionar pontos cruciais para diversas comunidades afetadas pela epidemia de HIV.

Foi assim que grupos de diversas partes do mundo, como o Fórum Global sobre Homens que Fazem Sexo com Homens e HIV (MSMGF), a Plataforma Global para Diagnóstico Rápido do HIV e Respostas de Direitos Humanos entre Gays, Homens Bissexuais e Homens que Fazem Sexo com Homens (Global Platform to Fast Track the HIV and Human Rights Responses Among Gay, Bisexual Men and Men Who Have Sex with Men), a Coalisão Pacífico-asiática sobre a Saúde Sexual Masculina (Asia Pacific Coalition on Male Sexual Health/APCOM), Coalisão Caribenha de Comunidades Vulneráveis (Caribbean Vulnerable Communities Coalition (CVC) incluíram observações para atender especificamente às populações-chave na luta global contra o HIV.

Dentre os tópicos defendidos, aqueles que foram considerados como os 5 pontos chave são:

  • Seguindo uma orientação dada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), as populações-chave a serem estrategicamente contempladas na luta contra o HIV são homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, usuários de drogas, população transgênera, migrantes, prisioneiros e jovens.
  • Populações-chave devem ser priorizadas não apenas para os serviços de prevenção, como também para um amplo programa e financiamento de cuidado e tratamento.
  • Apoiar a ênfase na igualdade de gênero incorporada na SDG 5 e salientar a importância em abordar questões de identidade de gênero e sexualidade em relação a homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo e pessoas trans.
  • Os Estados membros da ONU devem eliminar leis discriminatórias, políticas e práticas direcionadas a pessoas vivendo com HIV, transmissão do HIV, exposição e não divulgação, homossexualidade, não conformidade de gênero, trabalho com sexo e uso de drogas.
  • Respostas à epidemia de HIV por parte da comunidade devem ser priorizadas e totalmente financiadas pelos governos nacionais. Esta abordagem está em alinhamento com a orientação normativa da OMS, incluindo orientações emitidas para homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, pessoas que usam drogas e pessoas trans.

Notícia publicada em: http://msmgf.org/un-high-level-meeting-zero-draft-5-critical-priorities-key-populations-global-hiv-response/